Tamanduá-bandeira

Tamanduá-bandeira

O tamanduá-bandeira também está ameaçado de extinção. Desmatamento e caça são as causas dessa terrível situação. O tamanduá é de grande importância para o equilíbrio da na-ureza. Alimenta-se de formigas e cupins. O tamanduá tem um focinho comprido, uma língua roliça e uma saliva pegajosa para grudar com eficiência seu alimento. Quando o tamanduá-bandeira abre um cupinzeiro, ele não o destrói totalmente. Alimenta-se de uma quantidade necessária e parte em busca de outro, proporcionando a recuperação do cupinzeiro aberto anteriormente. Tamanduá é sabido. Ao dormir, se enrosca todo em sua grande cauda, para se aquecer. As fêmeas carregam seus filhotes nas costas, camuflados em suas listas dorsais. Eles são muito lentos quando se deslocam e por isso, são grandes vítimas dos incêndios florestais.
Você sabia? Que há muitas histórias sobre o tamanduá? Os antigos moradores da Canastra e região comentam que o tamanduá-bandeira era muito temido pelo seu tamanho e seu “abraço” perigoso. Tinham medo de passear à noite nas casas dos parentes, pois no caminho, as trilhas passavam próximas ou entre as matas, um local escuro, onde o tamanduá-bandeira poderia aparecer a qualquer momento. Segundo eles, muitos cães morreram nos braços do tamanduá. Na verdade, o tamanduá não é perigoso. Sua única defesa são suas grandes e fortes unhas usadas para abrir cupinzeiros. Atualmente, podemos ver no parque muitos tamanduás-bandeira, principalmente nos campos limpos, nos cerrados e nos capões de matas onde se refugiam.

fonte: livro um lugar chamado canastra.

Dicas, materias, guias, hospedagem: www.passeiosnaserradacanastra.com.br

Deixe um comentário

MENU